Rondônia, 17 de agosto de 2017

Coluna Papo Reto: Guajará, A Dança da Vergonha, Demissões em Cacoal e Saúde a Flor da Pele

Publicidade

DEMOCRACIA COMPRADA

Na quarta-feira passada, os deputados federais votaram e arquivaram a denúncia contra o presidente Michel Temer, que foi acusado de corrupção pelo Procurador Geral da República, Rodrigo Janot. A sessão foi muito tumultuada, porque muitas pessoas cobravam dos deputados que o presidente fosse investigado. Para conseguir derrubar a denúncia, Temer fez de tudo, atitude que indignou a população. O governo liberou cerca de 4 bilhões de reais de emendas para convencer deputados de que o presidente é honesto e parece que convenceu alguns, como foi o caso do deputado Wladimir Costa, do Pará, que chegou a tatuar o nome do presidente e disse que é fã de Temer. A tatuagem fez com que o deputado enfrentasse muitos protestos no país inteiro e certamente sua reeleição vai ser difícil em 2018. No final, Michel Temer disse que foi uma vitória da democracia, mas em praticamente todos os estados consideram a declaração do presidente como uma provocação.

BANCADA DO TEMER

Em Rondônia, os comentários sobre os votos dos membros da bancada na Câmara estão entre os principais assuntos em todos os municípios do estado. Dos 08 deputados federais que Rondônia tem, apenas três votaram a favor da investigação sobre o envolvimento do presidente nos crimes denunciados pelo Procurador Geral da República, Rodrigo Janot. Expedito Netto, Marcos Rogério e Mariana Carvalho. Os demais deputados de nosso estado votaram como o governo determinou e isso deixou muitos eleitores irritados. Como estamos muito próximos de uma campanha eleitoral em que os deputados possivelmente tentarão permanecer no mandato, a situação daqueles que votaram a favor de Michel Temer não será muito fácil. Foram cinco os deputados rondonienses que se aliaram à tropa de choque de Michel Temer: Marinha Raupp, Lúcio Mosquini, Luiz Cláudio, Lindomar Garçom e Nilton Capixaba. Em todos os municípios do estado, os deputados que se aliaram ao governo têm sido duramente criticados.

MARINHA RAUPPÉ VAIADA EM ROLIM

Após ter se aliado ao grupo que resolveu se juntar ao presidente Michel Temer, a deputada Marinha Raupp, começou a sofrer as consequências políticas de sua decisão. No último final de semana, ele esteve em Rolim de Moura, seu principal reduto eleitoral em Rondônia, para participar de um evento em comemoração ao aniversário do município. Quando o nome da deputada foi anunciado, o público começou vaiar e a situação ficou realmente vexatória. Marinha Raupp ficou visivelmente constrangida e seu discurso durou menos de 15 segundos. Além de Rolim de Moura ser o reduto da deputada, entre as pessoas que vaiaram, havia diversos cabos eleitorais conhecidos da deputada, o que tornou a situação mais constrangedora, porque Marinha Raupp não estava acostumada com esse tipo de situação. Na realidade, o voto da deputada a favor de Michel Temer para enterrar a denúncia da PGR não foi o único motivo das sonoras vaias. Quem visita Rolim de Moura sabe que o desgaste de Marinha Raupp é muito grande, porque ela defende outras bandeiras de Michel Temer e do PMDB que a população realmente não aceita. Depois de tudo que aconteceu no final de semana, a deputada percebeu que terá muitas dificuldades para convencer a população de Rolim de Moura a votar novamente nela. Com certeza, ela não será a única vítima de vaias no estado…

GUAJARÁ, A DANÇA DA VERGONHA

A falta de prestígio no próprio reduto não parece ser uma particularidade da deputada Marinha Raupp. Em Guajará-Mirim, o deputado estadual Neidson Soares tem sido duramente criticado por diversos setores da população e até mesmo por vereadores. Na sessão ocorrida na última quinta-feira, o vereador Isaac Carreirinha (DEM) chegou a dançar na tribuna da Casa de Leis, enquanto fazia duras críticas contra o deputado. Isaac Carreirinha batizouo sua dança como a “Dança da Vergonha” e reclamou muita da falta de representatividade do município no legislativo estadual. Ele foi seguido pelo vereadorKerlinger Brito (PTN), que também criticou Neidosn Soares, como aconteceu com diversos outros vereadores. Na realidade, muitas pessoas de Guajará-Mirim acreditavam que eleger um deputado estadual mudaria a situação do município e esta opinião não é equivocada. O problema é que o deputado eleito pela cidade carece de preparo político e técnico, além de conhecer pouco a cidade. Ele passou mais da metade da vida em Vilhena e na Bolívia. Guajará-Mirim, com certeza, tem nomes mais sólidos e que poderiam representar melhor os interesses da população.

ELEIÇÕES NO SINTERO

As pessoas que trabalham na educação estadual e que conhecem o processo eleitoral dentro do Sintero sabem que, há décadas, o mesmo grupo se reveza no poder. Sempre que se aproximam as eleições, eles começam inventar histórias e manobras, com a finalidade de permanecer no sindicato. Este ano, mais uma vez, o grupo do qual faz parte o ex-deputado Nereu Klosinski começou se movimentar para continuar no poder. Aliados do ex-deputado, passaram a dizer em outros municípios que o Sintero em Ariquemes está uma bagunça generalizada e que ninguém tem o controle do sindicato na região. Tudo mentira! A manobra faz parte de uma estratégia de fofoca, para manchar a imagem dos dirigentes do Sintero na região, já que a turma de Nereu e Manoelzinho não conseguem dominar os filiados de Ariquemes. Outra estratégia que foi adotada pelo grupo que governa eternamente a entidade sindical é dizer que não dá para fazer mudanças, porque as pessoas não sabem quem vai assumir o sindicato. Para a maioria dos filiados, quem vai assumir não importa, mas chegou a hora de mudar.

O PODER LEGISLATIVO

Na última segunda-feira, aconteceu em Cacoal a primeira sessão ordinária da Câmara de Vereadores, neste semestre. Os nobres edis ficaram cerca de 40 dias em férias, depois de menos de seis meses de mandato. Como eles saíram de recesso dia 26 de junho, os primeiros seis meses do ano não estavam completos, além do que o mês de janeiro também foi o período de férias do legislativo. Cacoal certamente está entre os raros municípios do país onde os vereadores ficam de recesso por 90 dias, porque a Constituição Federal estabelece como tempo limite o máximo de 55 dias de recesso. Conforme dizem servidores da Câmara de Cacoal, a Casa já foi alertada sobre os fatos, mas ignora e segue como se tudo fosse muito natural. Como nosso país está vivendo um caos total, a Câmara de Cacoal não poderia ser diferente, mesmo porque a impunidade e a farra com o dinheiro público são marcas de praticamente todas as casas legislativas do país.

CERNIC NOS JOGOS PARAOLIMPICOS

Desde sexta-feira, e vai até amanhã, o município de Cacoal é a sede dos jogos paralimpicos do estado.  A competição envolve 72 escolas, 20 cidades, 658 participantes, entre atletas e dirigentes e tem como anfitrião o Centro de Reabilitação Neurológica Infantil de Cacoal – CERNIC, entidade muito conhecida na região e que desenvolve excelente trabalho com pessoas portadoras de necessidades especiais. Como Cacoal possui excelente infraestrutura, certamente a competição será um evento de sucesso e também porque as pessoas envolvidas na organização. Desejamos que os jogos sejam, mais uma vez, bem sucedidos e que os participantes possam se divertir e praticar os seus esportes favoritos. Além de participar dos jogos, as pessoas podem aproveitar para dar um passeio em Cacoal e curtir as atrações da Capital do Café.

 DEMISSÕES EM CACOAL

Nesta segunda-feira (07), a prefeita de Cacoal, Glaucione Maria Rodrigues Neri, exonerou, segundo informações preliminares, cerca de 180 servidores comissionados da Administração Municipal. Durante a sessão ordinária da Câmara de Vereadores do município, vários edis lamentaram as exonerações e disseram que estão muito tristes com a situação. Na realidade, é um número alto de demissões e revela um problema grande de Cacoal, porque, segundo o que vem dizendo a prefeita do PMDB, o município não dispõe de recursos para manter as nomeações, nem para melhorar o salário dos servidores efetivos. Por causa de acordos que fez durante a campanha, a prefeita vive hoje uma situação de descrédito em relação aos servidores e a relação com o sindicato tornou-se litigiosa. Como muitos dos servidores exonerados esta semana possuem ligações muito fortes com diversos vereadores, a prefeita pode perder inclusive o controle da Câmara onde ela sempre teve ampla maioria de votos. Ainda é cedo para dizer que pessoas da lista dos exonerados voltarão a ocupar cargos na administração, mas isto parece ser o caminho, porque as demissões dificilmente terão caráter definitivo, mesmo porque, além dos amigos e parentes de vários vereadores, estão entre os exonerados muitos cabos eleitorais da ex-deputada.

SAÚDE À FLOR DA PELE

A secretária de saúde de Cacoal esteve, poucos dias atrás, em Rolim de Moura e disse diversas coisas que podem criar diversos conflitos entre os municípios da região. Segundo o que ela argumentou, os pacientes que moram nas cidades vizinhas e  fazem hemodiálise em Cacoal poderão ser surpreendidos com a suspensão do serviço, em virtude dos altos custos para o município. O problema é que retirar esse tipo de serviço pode causar prejuízos incalculáveis às pessoas que são atendidas e até mesmo levar à morte. A secretária Penha Simão tem tentado mostrar que conhece a estrutura da administração, mas sua atuação não tem sido elogiada por praticamente ninguém e o município de Cacoal demora muito para fazer uma licitação de medicamentos. Até hoje, muitas reclamações foram feitas e a titular da pasta finge que não vê absolutamente em volta dela, mas a situação não é muito simples. Como a secretária tem ligações com o governador e com diversos vereadores, ela consegue se manter no cargo, mas o município precisa melhorar muito neste setor.

A RODOVIA DO PMDB

A população de Rondônia já sabe, faz muito tempo, que o DER, nos últimos anos, tem sido usado apenas para fazer campanhas eleitorais de pessoas que assumem cargos no órgão, enquanto as estradas estão abandonadas. Para constatar este fato, basta fazer uma simples visita a uma das rodovias estaduais e verificar a realidade. O exemplo mais emblemático é a Rodovia 471, que liga o município de Cacoal a Ministro Andreazza e que serve como permanente objeto de propaganda política, embora a situação continue precária. Como Ministro Andreazza é o município onde o presidente da Assembleia Legislativa tem domicílio eleitoral, os habitantes do município acreditam que a situação deveria ser melhor, mas infelizmente não é diferente das demais. Diversas vezes, dirigentes do DER já prometeram arrumar a rodovia, mas os buracos continuam e aumentam a cada dia. Vale lembrar que o governador, o prefeito de Ministro Andreazza, a prefeita de Cacoal e o presidente da Assembleia são todos do PMDB e dizem defender as causas do povo, mas isto não acontece na rodovia que dá acesso a Ministro Andreazza. Quem sabe com a proximidade das eleições…

PARLAMENTANDO

MUSICA CLASSICA

Um deputado de Rondônia, que votou a favor do Temer e para enterrar a denúncia do Procurador da República, Rodrigo Janot, que acusou formalmente Michel Temer, por corrupção, vai assistir à inauguração de um teatro numa pequena cidade do interior.

O espetáculo começa com um recital de um pianista muito conhecido. Tentando evitar um vexame, o político vira-se para o seu assessor e pergunta:

— Você entende de música?

— Um pouco — responde o assessor.

— O que é que esse cara está tocando?

— Piano!

Fonte: Jornal Correio de Rondônia

Publicidade

Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. O comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Você pode ser denunciado ou até mesmo banido caso comente algo racista, incite o ódio gratuito ou poste spam.

Comente com o Facebook

Publicidade

Previsão do Tempo

Publicidade

Últimas Notícias