Rondônia, 16 de dezembro de 2017

Mulher acusa procurador do DETRAN/RO de agressão

Correspondente de Porto Velho – O boletim de ocorrência nº 33945/2017 registrado na 5º DP UNISP Amazonas, em Porto Velho – Rondônia traz uma acusação contra o Procurador Geral Interino do  DETRAN/RO, Philipe Dionísio Mendonça. Segundo a vítima, ela teria sido agredida dentro da sua residência. Ainda, de acordo com o BO, o infrator teria ficado revoltado por conta de uma festa e por esse motivo segurou a mulher pelo braço e a jogou na cama, aos gritos e ofensas. Nesse mesmo boletim de ocorrência, a vítima disse que Philipe Mendonça já praticou a mesma conduta criminosa descrita na Lei Maria da Penha (Lei nº 11.340/2006). Ela revela “que teve outra ocorrência em que foi agredida”. A ação do infrator causou na vítima uma lesão descrita como hematoma no braço, conforme consta no BO, no campo estado físico.

Apesar das agressões contra a mulher serem repudiadas pela sociedade e o ordenamento jurídico brasileiro, alguns homens insistem nessa prática criminosa. Felizmente, nesse caso, a vítima teve coragem de denunciar, mesmo sendo um servidor público que ocupa um cargo em comissão de extrema confiança, conhecedor pleno das normas que, por consequência, deve preservá-las.

A reportagem do jornal Correio de Rondônia apurou que a atitude do servidor rendeu comentários dentro do DETRAN/RO, pois, segundo nos fora informado e posteriormente constatado no Diário Oficial do Estado, ele ocupa um cargo de confiança na instituição que tem como princípio a preservação da paz social.

Atualmente o DETRAN/RO é comandado pelo grupo do senador Acir Gurgacz (PDT/RO), que tem como indicado o advogado José de Albuquerque Cavalcante, diretor-geral, o delegado Cristiano Lopes, corregedor da autarquia e membro do Diretório Municipal do PDT em Porto Velho.

Fonte: Jornal Correio de Rondônia

Publicidade

Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. O comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Você pode ser denunciado ou até mesmo banido caso comente algo racista, incite o ódio gratuito ou poste spam.

Comente com o Facebook

Publicidade

Previsão do Tempo

Publicidade

Últimas Notícias