Siga o CR
×
Siga o CR

Cidades

Em cerejeiras, trabalho de avicultora revela a força feminina no campo

Unidade idealizada por produtora há pouco mais de um ano abate cerca de 300 aves por semana.

A advogada Jaqueline Cassol, presidente dos Progressistas em Rondônia, conheceu a história dos empreendedores rurais e acompanhou o trabalho deles in loco durante uma visita realizada.

Há cerca de um ano, nasceu o sonho da produtora rural, Rosa Santos, que foi motivada a investir na criação de aves, no sítio Dois de Ouro, localizado na linha 05, zona rural do município de Cerejeiras (RO). Ela juntamente com o marido, Orlando do Santos e o filho Valdomiro Ricardo, trabalham no cultivo de hortaliças há mais de 15 anos na propriedade dos sogros, o senhor Orlando Antônio e a dona Leicy dos Santos. Decidiu empreender, ousando no investimento que inicialmente começou com R$ 250 mil financiados por uma instituição bancária, fundando a agroindústria “Qualy Frango”.

As dificuldades “foram muitas”, conforme relata Rosa que hoje dispõe de uma vasta experiência sobre o negócio familiar desde a sua idealização. Ela conta que usou da persistência e determinação para alcançar o objetivo do projeto. Levou pouco mais de 30 dias para iniciar a construção da unidade que comporta atualmente mais de 6 mil frangos da espécie conhecida como “caipirão”.
“Tivemos a orientação do prefeito Airton para buscar informações sobre a possibilidade de criar o empreendimento. Inicialmente não foi nada fácil diante dos procedimentos e exigência de documentações. Mesmo assim, insistimos e até hoje buscar conhecimento faz toda a diferença porque além de produzir temos que estar adequados com as exigências de órgãos certificados para fornecer nossos produtos ao setor público e mercados da cidade”, explicou Rosa.

A pequena instalação que reúne quatro compartimentos ao lado do galpão aviário é o suficiente para o abate das aves, limpeza, secagem, embalagem, congelamento e estoque de aproximadamente 300 aves que são abatidas por semana. Depois disso, os produtos estão aptos para serem entregues em unidades públicas através o Programa de Aquisição de Aliemntos (PAA), feiras e mercados do município.

A advogada Jaqueline Cassol, presidente dos Progressistas em Rondônia, conheceu a história dos empreendedores rurais e acompanhou o trabalho deles in loco durante uma visita realizada na última quarta-feira, 03 de julho. “ Essa história precisa ser compartilhada para inspirar outras pessoas que sonham em abrir o próprio negócio. A Rosa é um exemplo revelador da força feminina no campo”, disse.

Com um projeto político em andamento, a progressista falou de suas ideias para incentivar a vida das pessoas que vivem do cultivo e criação de animais no setor rural. Falou sobre a importância de levar cursos técnicos e superiores à distância ou modular para manter os filhos dos produtores no campo.

Nessa linha, Rosa lembrou que atualmente a maior preocupação mundial é a falta de alimentos e concordou que os filhos dos agricultores devem ser incentivados a permanecerem no campo. “Temos qualidade de vida e opção de sustentar nove pessoas na família com a renda que adquirimos das hortaliças e agora com a agroindústria”, comenta.

Ecologicamente corretos

Além de obedecer a todas as normas estabelecidas desde a criação das aves até o meio de transporte, os avicultores se preocupam ainda com a destinação correta dos resíduos decorrente do abate, em observância às exigências ambientais. Todo o material é recolhido e destinado ao local correto.

Indagados sobre as pretensões futuras para expandir o negócio, o casal de criadores são cautelosos na resposta, afirmando que querem “dar um passo de cada vez”, porém sonham em alçar voos mais altos, a fim de acompanhar os avanços que a cadeia produtiva do frango propõe ao agronegócio brasileiro. “Atendemos apenas a nossa cidade, mas estamos lutando para conseguir exportar os itens para outras cidades, tão logo seja adquirido o Selo de Inspeção Estadual (SIE).

Fonte: Assessoria de Imprensa

Publicidade

Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. O comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Você pode ser denunciado ou até mesmo banido caso comente algo racista, incite o ódio gratuito ou poste spam.

Comente com o Facebook

Publicidade

Curta Nossa Fanpage

Publicidade

Previsão do Tempo

Publicidade

Últimas Notícias