Siga o CR
×
Siga o CR

Porto Velho

Ferroviários pedem tombamento de 366 km da Estrada de Ferro Madeira Mamoré

Pedido já se encontra no Iphan de Rondônia , em andamento n. 1819-t-17,conforme portaria n.11/86.

A associação defende o tombamento de Porto Velho até o final da ferrovia, no antigo prédio da estação ferroviária de Guajará-Mirim.

A Associação dos Ferroviários da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré, a pedido do vice-presidente George Telles, enviou ao gabinete do presidente Michel Temer, um pedido para o tombamento de 366 quilômetros da Estrada de Ferro. Atualmente apenas 8 quilômetros da estrada foi tombado. A associação defende o tombamento de Porto Velho até o final da ferrovia, no antigo prédio da estação ferroviária de Guajará-Mirim.

A resposta do pedido, endereçada ao vice-presidente da associação, foi encaminhada via e-mail, no documento é atestado o recebimento do pedido no gabinete pessoal do presidente da República. O pedido se encontra no Ministério da Cultura, onde segue em análise dos funcionários.

História

No inicio do século 20, a construção da E.F.M.M.foi retomada e a ferrovia ficou com o empresário Percival Farquhar, que executou o projeto através da concessão feita pelo governo brasileiro à empresa Madeira-Mamoré Railway. Mas foi a empresa May, Jekyll & Randolph, que ficou encarregada pela construção da E.F.M.M. As obras foram retomadas no ano de 1907 e finalizadas em 30 de abril de 1912, data que marcou a fundação da cidade de Guajará-Mirim (RO), onde está localizada a última estação da linha, hoje prédio do museu da cidade.

A Associação, solicitou através de ofício ao prefeito Hildon Chaves uma proposta de projeto de lei para a criação de uma Secretaria do Patrimônio Histórico Municipal para o avanço da EFMM. Respeitando a portaria 231/2007 e decreto lei 25/37 que define o complexo ferroviário pelo Iphan nacional. O vice-presidente George Telles alerta que trabalhando dentro da legalidade terá o patrimônio revitalizado e restaurado na Amazônia.

Fonte: Assessoria de Imprensa

Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. O comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Você pode ser denunciado ou até mesmo banido caso comente algo racista, incite o ódio gratuito ou poste spam.

Comente com o Facebook

Publicidade

Curta Nossa Fanpage

Publicidade