×

Publicidade

Programa implementado contribuirá com ressocialização de adolescentes

Ressocialização com oportunidades.

programa - Programa implementado contribuirá com ressocialização de adolescentes - correio de rondônia

Cassem atende legislação do Estatuto da Criança e do Adolescente.

O Primeiro Centro de Atendimento Socioeducativo de Semiliberdade (Cassem) foi implantado em Porto Velho e a solenidade na ultima terça-feira (14) marcou o início dessa conquista ao Estado de Rondônia. O sistema promove a ressocialização com oportunidade de desenvolver e preparar o adolescente para o mercado de trabalho, proporcionando crescimento com auto responsabilidade.

A finalidade do Programa de Semiliberdade é proporcionar oportunidade para os adolescentes com valor à responsabilidade. Definido como Modelo Político Pedagógico, contribui de forma positiva para a ressocialização dos adolescentes. No sistema socioeducativo, o jovem ainda é privado da liberdade, mas estuda no período matutino, participa de curso profissionalizante durante à tarde e, à noite, retorna à unidade socioeducativa para dormir. Prevista no Estatuto da Criança e Adolescente (ECA), segundo a Lei n° 8.069, art. 120, ‘o regime a ser determinado desde o início ou como forma de transição para o meio aberto, possibilitada a realização de atividades externas, independente de autorização judicial’, podendo ser aplicado ao jovem que cometeu infração leve ou que já está em uma unidade sentenciada, segundo aplicação realizada pelo juiz.

Continua após a Publicidade

banner equilibrio - Assaltantes armados invadem Hospital do Amor e tentam arrombar caixas eletrônicos, em Porto Velho - correio de rondônia

A medida de semiliberdade considera seis meses a três anos de reclusão, porém, dependendo da forma que o adolescente se desenvolve no Programa, junto à decisão do juiz e de uma equipe técnica multiprofissional, uma medida de progressão é realizada, permitindo a liberdade completa.

Com primeiro teste realizado no final de semana de comemoração ao dia das mães, 15 adolescentes foram liberados para se reunirem aos seus familiares, saindo na sexta-feira (10) e retornando no domingo (12), todos se apresentaram devidamente à unidade socioeducativa.

O Cassem fica localizado na casa que anteriormente atendia ao sistema provisório socioeducativo, onde o adolescente fica 45 dias, e após análise do juiz da infância e juventude, recebe novo destino, que pode ser para uma unidade sentenciada ou liberdade assistida. E agora, com o Programa de Semiliberdade, mais uma opção de regime para o adolescente foi implantado. A unidade provisória foi remanejada para a Zona Leste da capital.

O Programa conta com parcerias firmadas em supermercados, com o Tribunal de Justiça, o Tribunal Regional do Trabalho, para que os adolescentes sejam inseridos no mercado de trabalho com remuneração. Na formação básica, um termo de cooperação com a Secretaria de Estado da Educação (Seduc) possibilitou os estudos no ensino regular. E, na formação profissional, a escola da magistratura do Tribunal de Justiça (Emeron) capacita os adolescentes, por exemplo, com cursos de mecânica e curso de informática completo. O regime permite também o desenvolvimento social com terapia e cursos extras, atividades elaboradas pela Associação Cultural e de Desenvolvimento do Apenado Egresso (Acuda).

Na solenidade de implantação do Cassem, a secretária adjunta de Assistência e Desenvolvimento Social (Seas), Liana Silva de Almeida Lima, ressaltou a importância da ressocialização do adolescente. “A história do adolescente nós desconhecemos, mas precisamos acreditar que a instituição vai melhorar a sua condição, para que ele se integre e retorne ao convívio do seu lar”. A secretaria também é parceira da Fundação Estadual de Atendimento Socioeducativo (Fease), destinando recursos, conforme projetos, que aprovados, recebem investimentos, por meio do Fundo Estadual de Combate e Erradicação da Pobreza (Fecoep).

“Graças a Deus, vou sair daqui empregado”, disse com gratidão um dos adolescentes, que em seis meses ganhará liberdade completa.

Completando 29 anos do Estatuto da Criança e Adolescente, o regime de semiliberdade demonstra a evolução do sistema socioeducativo em Rondônia. “Esse é um resultado da criação da Fease que agora, com autonomia, cumpre seu designado”, declarou juiz Marcelo Tramontini, do 1° Juizado da Infância e da Juventude.

O Cassem funciona como uma casa para os adolescentes. Com um processo de adequação a médio e longo prazo, conforme apresentado pelo presidente da Fease, Antônio Francisco Gomes Silva, a nova estrutura ideal tomará forma gradativamente com a troca das grades por portas comuns nos dormitórios, além das camas de concreto substituídas por beliches. “O ideal é que seja um modelo onde o adolescente se sinta em casa, como em breve retornará a sua casa de origem, no seio de sua família. Fortalecidos para um novo horizonte na vida deles”, destacou.

A segurança no Centro de Atendimento Socioeducativo de Semiliberdade continuará com foco na preservação da vida dos adolescentes, quando na necessidade, haverá intervenção do socioeducador mediante conflitos, mas o objetivo principal é promover a auto responsabilidade, desenvolvendo a percepção do que está sendo dado como uma nova oportunidade para a vida dos jovens.

Fonte: Assessoria de Imprensa

Ver comentários