Siga o CR
×
Siga o CR

Papo Reto

Coluna Papo Reto: Combustível da Rejeição, Silêncio Sindical e Escolarização de Deputados

UM NOTÓRIO BANDIDO E UM RÉU CONFESSO

Assim como fez com Joesley Batista, o presidente Michel Temer recebeu, semana passada, em sua casa, na residência oficial,  o ex-deputado Roberto Jefferson, presidente nacional do PTB. O motivo da reunião foi para negociar o Ministério da Cultura, que seria assumido pela filha do ex-deputado, Cristiane Brasil, deputada federal que faz parte do grupo de defensores de Michel Temer e trabalha duramente para enterrar a denúncia da PGR contra Temer, na câmara dos deputados. Roberto Jefferson determinou, na semana passada, que todos os deputados do partido são obrigados a votar a favor de Michel Temer e barrar a denúncia. Claro que, com os votos dos deputados do PTB, o ex-mensaleiro tem a moeda para negociar com o governo. Depois, se Roberto Jefferson também fizer alguma gravação das falas de Temer, deixará de ser o amigão e aliado, para ser também um notório bandido, como o governo denomina hoje o dono da JBS. Em virtude de várias reclamações de deputados controlados pelo governo, a filha de Roberto Jefferson acabou não assumindo o cargo, mas as negociações continuam. Em Rondônia, o deputado do PTB é Nilton Capixaba, que em recente entrevista em rádio do estado defendeu Michel Temer. Será que é ordem do partido?

COMBUSTÍVEL  DA REJEIÇÃO

A população brasileira está indignada com o aumento do preço dos combustíveis e até mesmo a FIESP, aliada de Temer no projeto para tirar Dilma do cargo, reclamou da medida. Michel Temer deu uma entrevista e tratou do caso com a maior naturalidade do mundo, dizendo que a população vai aceitar sem problemas o aumento, porque o povo apoia seu governo e as medidas que ele toma. Temer não explicou qual é o povo que apoia o governo dele, mas certamente são os deputados controlados pelo governo e monitorados diariamente pelo Palácio do Planalto. Se dependesse da população, o presidente estaria fora do cargo há muito tempo e isso pode ser constatado pelas recentes pesquisas que avaliam a popularidade do presidente. A última vez que foi publicada uma pesquisa, Michel Temer tinha 5%  de aceitação. Com o aumento dos preços de combustíveis, que  acabam aumentando outros preços, dificilmente este percentual se manteve. Diversos deputados e senadores do PMDB já deixaram claro que não querem saber de Michel Temer e a proximidade do ano eleitoral faz aumentar a cada dia o número de deputados que se afastam do governo, para tentar convencer a população de que são realmente opositores.

VILHENA EM DESTAQUE

As operações policiais para investigar e , muitas vezes, prender político de Vilhena se tornaram uma rotina no Sul do estado. Semana passada, o vereador Célio Batista (PR) foi afastado do mandato por determinação judicial e passou a usar monitoramento eletrônico, ou seja, tornozeleira. Célio chegou a assumir o cargo de prefeito no ano passado, quando foram presos o prefeito, o vice-prefeito e mais da metade dos vereadores da cidade. Agora, em nova investigação, o vereador é acusado de fazer parte de uma organização que desviou recursos públicos, através de manobras em licitações. Com tantas prisões, o município de Vilhena certamente assumiu a primeira colocação do estado, no quesito maior número de vereadores presos. É lamentável que isto aconteça em um município com tantas potencialidades econômicas. Uma curiosidade sobre as prisões dos vereadores de Vilhena é que grande parte dos presos pertencem a igrejas evangélicas do município. Daqui a pouco, a eleição de candidatos que dizem representar igrejas do município vai se tornar mais difícil, porque a população está indignada com os altos índices de corrupção na capital da soja.

EDUCAÇÃO E POLÊMICA

O professor Severino Bertino Neto deixou o cargo de secretário de educação do município de Cacoal na última sexta-feira. A saída do secretário é recheada de polêmica, porque ele tem o apoio da maioria dos vereadores, dos professores municipais e da Diretoria do sindicato. Bertino deixou o cargo dizendo que estava de saída porque não aceita fazer coisas erradas e isso vai dar o que falar na Capita do Café. No mesmo dia, assumiu o cargo a professora Rosely Maria Dias Vieira, que morava em Pimenta Bueno e foi secretária de educação  daquele município por 10 anos. A nova secretária é politicamente muito ligada ao ex-deputado Kaká Mendonça que está preso acusado de corrupção e desvios de recursos públicos. Quando foi secretária de educação em Pimenta Bueno, Rosely Vieira teve problema com a licitação de frangos da merenda escolar, mas as investigações não foram à frente. Agora, ela será responsável por dar novos rumos à educação em Cacoal. Os servidores municipais estão indignados com a saída do professor Severino Bertino.

SILÊNCIO SINDICAL

Esta semana, a Polícia Civil de Rondônia prendeu em Porto – Velho um professor muito famoso na capital porque ministra aulas na rede pública e diversas escolas particulares de alto padrão. O professor, que também é escritor, é acusado de enviar e receber fotos e vídeos de alunas pelo celular.  Como se trata de um professor muito conhecido, seria normal que o Sintero se manifestasse sobre o assunto, já que a repercussão é muito grande. Até hoje, porém, a cúpula do sindicato da educação está caladinha e não quer saber do assunto. Claro que não estamos dizendo que o sindicato deveria acusar ou defender o professor, mas deveria se manifestar e cobrar das autoridades a apuração dos fatos e a responsabilização de quem for culpado. Segundo diversos comentários publicados nos jornais eletrônicos onde a matéria foi veiculada, muitas pessoas das escolas sabiam da situação, mas nunca tomaram nenhuma medida. A manifestação do sindicato da educação é uma coisa necessária nessas ocasiões, mas infelizmente é uma tradição do Sintero se calar. Para citar um exemplo, não se vê nenhuma manifestação do sindicato sobre o projeto de militarização das escolas, embora tenha dirigentes do Sintero muito próximos do governo.

TRUCULÊNCIA SINDICAL

Falando em Sintero, esse ano haverá eleição para escolher a nova diretoria do sindicato e diversos filiados se movimentam para a disputa. Os atuais membros da Executiva do sindicato também se movimentam, porque eles estão há quase 30 anos no poder e não aceitam sair de lá. O atual presidente, Manoel Rodrigues e o ex-deputado Nereu Klosinski passaram a assediar os filiados e propor a formação de uma chapa em que eles tenham espaço garantido. O principal argumento deles é que os filiados não podem eleger outra diretoria, porque não sabem quem vai tomar conta do Sintero. Isso quer dizer que, para eles, as únicas pessoas que podem dirigir o sindicato são as mesmas pessoas que estão há décadas se revezando nos cargos. Algumas pessoas inclusive passaram a ser boicotadas pela Executiva do sintero. Semana passada, houve uma reunião da Diretiva do Sintero. Alguns professores filiados ao sindicato, e que pagam sua contribuição fielmente, foram retiradas da reunião. O presidente Manoelzinho explicou aos filiados que foram expulsos da reunião que eles não poderiam ficar, porque a diretoria iria tratar de assuntos que eles não podiam saber. Que coisa truculenta!!!

EDUCAÇÃO INOVADORA

As pessoas que defendem  a militarização das escolas  certamente não conhecem o “modelo” que o governo de Rondônia estabeleceu. No sistema que Confúcio está propondo, os alunos são obrigados a cortar o cabelo como militares, não podem usar bigode, cavanhaque ou barba, não podem usar piercing e são chamados de “senhores” ou “senhoras”. Apenas os alunos que se destacam são chamados pelo nome e sempre que é constatado que um aluno ou uma aluna tem características homossexuais, os pais são orientados a dar uma surra. Todos os dias, invariavelmente, as bolsas ou mochilas dos alunos são revistadas na entrada e se alguém levar para a escola algum objeto que a militarização não permite, será punido. É isso mesmo! Na escola de Jaci Paraná as regras são feitas pela Polícia Militar e não pela escola. Com esse procedimento de revirar bolsas e mochilas de alunos na entrada da escola, o horário de iniciar as atividades é sempre prejudicado, isso sem falar que o ônibus que transporta os professores que moram em Porto-Velho raramente chega no horário certo. No modelo de militarização, os professores não podem dar opinião sobre os métodos de punição para os alunos que não cumprem as regras. Os professores recebem as “ordens” da “comandante” da escola por email, como data e hora para cumprir as missões.

“FAÇA O QUE EU DIGO, MAS NÃO FAÇA O QUE FAÇO”

O deputado Jesuíno Boabaid está fazendo uma verdadeira maratona em escolas estaduais para implantar a militarização e muitas pessoas não sabem o motivo. A questão é que seus amigos, os militares da reserva é que seriam os beneficiados com o projeto. Os militares da reserva, geralmente cabos ou sargentos sem nenhuma formação na área de educação, são contratados para trabalhar nas escolas e recebem uma gratificação de 50% do salário que já recebem para aplicar as regras da militarização nos alunos. O próprio deputado Jesuíno Boabaid concluiu apenas o Ensino Médio e não tem a devida qualificação para criar nenhum modelo ou sistema educacional, mas ele é o maior defensor do projeto nas escolas. Juntamente com o deputado,  uma servidora da SEDUC,  Angélica Aires, também visita as escolas para dizer aos alunos e pais presentes que este é o melhor modelo de educação do país. Nas escolas militarizadas por Confúcio Moura, Angélica Aires e Jesuíno Boabaid não tem nenhum filho de deputado e nenhuma filho de servidores da cúpula da SEDUC.  Ou seja, o modelo é bom para os filhos dos outros, o modelo é bom para filhos de pobres. Os filhos de deputados e servidores de luxo da SEDUC estudam em escolas particulares.

MILITARIZAÇÃO DE ESCOLAS

O Conselho Estadual de Educação e o Ministério Público de Rondônia deveriam analisar com mais carinho esse projeto de militarização de escolas. Muitas pessoas da comunidade dizem ser favoráveis, porque não conhecem a realidade do projeto e os “métodos” medievais com que os alunos são tratados, por exemplo, na escola “militarizada” no distrito de Jaci Paraná. A busca pela qualidade do ensino é um objetivo de toda a sociedade, mas é preciso que os modelos a serem implantados sejam discutidos por profissionais habilitados no assunto. O amadorismo com que o governo vem impondo esse modelo preocupa, especialmente pela falta de formação de pessoas que atuam em escolas para convencer a sociedade de que este sistema é inovador. O deputado Jesuíno Boabaid concluiu apenas o ensino médio e depois se formou em “sindicalismo”, motivo pelo qual ele não reúne condições técnicas para defender esse modelo absurdo de educação. Pressionar alunos e dar ordem unida não melhora a condição intelectual de nenhuma pessoa. É claro que a questão disciplinar é um problema nas escolas, mas não é com cabos, e sargentos da reserva que vamos mudar isso.

ESCOLARIZAÇÃO DE  DEPUTADOS

Um exemplo simples sobre a falta de preparo do deputado Jesuíno Boabaid na área de educação está no próprio perfil do deputado na página eletrônica da Assembleia Legislativa de Rondônia. No citado perfil, ele não apresenta nenhuma informação sobre sua formação no campo da educação, limitando a dizer que é um dos maiores expoentes do estado em defender direitos de servidores públicos, além de falar de sua formação como sindicalista. Nas páginas do TRE, porém, consta que ele concluiu o ensino médio. Está na hora de alguém sugerir ao deputado que faça as provas do ENEM e entre em uma faculdade para aprimorar seus conhecimentos. O ensino básico não dá a ele a formação que precisa para visitar escolas e tentar explicar os motivos que fazem de um modelo de educação o mais adequado. Jesuíno pode até entender de greve de policiais, mas no estado de Rondônia tem milhares de pessoas com formação em Pedagogia e que conhecem o assunto. A usurpação de atribuição de profissionais da educação não é compatível com quem diz querer o melhor para a formação de nossas crianças e jovens. Em vez de trabalhar para militarizar escolas, Boabaid deveria trabalhar para escolarizar os deputados sem formação, coisa que ele ignora.

RONDÔNIA EM DESTAQUE

O advogado Juacy  dos Santos Loura Junior estará em Belém, no próximo dia 28 de agosto, para fazer uma palestra sobre Crimes Eleitorais”. O Dr. Juacy dos Santos é militante da OAB de Rondônia e até pouco tempo atrás era Juiz Eleitoral do Tribunal Regional Eleitoral de Rondônia. Durante o período em que atuou na Corte Eleitoral de Rondônia, o advogado Juacy dos Santos demonstrou muita capacidade jurídica e foi responsável por importantes decisões da Corte. É importante destacar a sua atuação para mostrar os valores que a OAB possui em Rondônia e a grande contribuição que pode dar ao estado e ao Direito Eleitoral de nosso país. A palestra vai acontecer no Plenário do TRE/PA e desejamos muito sucesso ao palestrante rondoniense. O Dr. Juacy está entre os mais competentes profissionais do estado, no campo do Direito Eleitoral.

PARLAMENTANDO

O ladrão anuncia para um homem de terno e gravata:

— Vamos, rápido! Passe para cá todo o seu dinheiro!

O homem responde:

— Alto lá! Sabe com quem está falando? Eu sou um deputado!

E o ladrão:

— Tudo bem, vamos lá! Passe para cá todo o meu dinheiro!

 Fonte: Jornal Correio de Rondônia

Publicidade

Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. O comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Você pode ser denunciado ou até mesmo banido caso comente algo racista, incite o ódio gratuito ou poste spam.

Comente com o Facebook

Publicidade

Curta Nossa Fanpage

Publicidade

Previsão do Tempo

Publicidade

Últimas Notícias