Siga o CR
×
Siga o CR

Papo Reto

Coluna Papo Reto: Impeachement do Temer, Silêncio Eleitoral e Abanono Acadêmico

NOSSAS ESCUSAS

Nossos leitores certamente estranharam o fato de não termos publicado a coluna Papo Reto na semana passada. Ocorre que tivemos um pequeno problema de cunho tecnológico e, por esta razão, ficamos impossibilitados de publicar a coluna. Por este motivo, registramos nossas sinceras escusas e comunicamos que faremos o possível para que seja a última vez. Infelizmente, em nossa vida nem tudo é feito com perfeição e  estamos sujeitos a lapsos como este. Estamos de volta e trazendo sempre a análise bem elaborada de nossos colaboradores, já que nosso prazer é manter nossos leitores sempre atualizados acerca dos fatos políticos e administrativos que ocorrem nos municípios de nosso estado. Um grande abraço e boa leitura!!!

IMPEACHEMENT DO TEMER

A Ordem dos Advogados do Brasil acionou o STF esta semana. O objetivo da OAB é conseguir uma decisão da Suprema Corte que possa obrigar o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, a decidir sobre a aceitação ou não do processo de impeachment contra o presidente Michel Temer. Na Casa, foram encaminhados 25 pedidos, sendo que um deles foi feito pela OAB. Como Rodrigo Maia é genro do ministro Moreira Franco, um dos principais aliados de Michel Temer, dificilmente ele tomaria alguma decisão que pudesse contrariar o presidente. Temer está completamente fragilizado e não tem condições de conduzir os destinos do país, mas partidos como o DEM e o PSDB são aliados de primeira hora. Na realidade, para esses partidos, não seria interessante a troca de presidente, pois o sucessor poderia ter a possibilidade de se destacar. Michel Temer está acabado e não tem como atrapalhar nenhum projeto futuro de partidos que tentam ganhar a presidência.

SILÊNCIO ELEITORAL

O deputado Jair Bolsonaro é um político muito controverso. O Rio de Janeiro, estado que o elegeu seis vezes, vive momentos de muita preocupação, de muito terror, de guerra e o deputado não dá opinião sobre a situação. Bolsonaro vive dizendo que vai consertar o país, caso um dia seja eleito presidente, e fala de algumas medidas que ele pensa adotar para cumprir suas promessas. Entretanto, seus adversários começam a perceber que ele gosta mesmo de falar de problemas distantes, mas não tem sugestão nenhuma para resolver os problemas do seu estado. Praticamente todos os dias um policial é assassinado no Rio de Janeiro, enquanto o deputado prega a pena de morte contra ladrões de galinha. Na realidade, Bolsonaro faz muito barulho em outros estados, tentando ganhar apoio e simpatia, e faz muito silêncio no estado que o elegeu, para ter a simpatia do pessoal que domina a cidade e que faz parte do crime organizado. Neste caso, está muito claro que ele age por conveniência eleitoral, enquanto o povo do seu estado sofre com um grau de violência inaceitável.

REFORMA ELEITORAL

Na semana passada, diversos caciques políticos se movimentaram bastante nos bastidores de Brasília, para tentar aprovar a “reforma eleitoral”. Parece brincadeira, mas todos os anos que antecedem as eleições, o Brasil precisa criar uma nova regra. É claro que não tem como dar certo, porque as modificações são criadas pelos próprios políticos e eles fazem as coisas exatamente como querem. Chamar essa palhaçada de “reforma eleitoral” chega a ser um acinte, porque tudo é projetado para atender os políticos, principalmente aqueles envolvidos com o crime e que precisam de proteção da lei. O modelo de reforma que eles estão propondo foi batizado de “distritão” e resume-se no fato de eleger os mais votados no estado. Esse modelo de eleição existe somente no Afeganistão e na Jordânia, países que nada têm a ver com a realidade brasileira. Além de criar o modelo “distritão”, os deputados estão trabalhando para criar um fundo de 3,6 bilhões de reais para bancar as campanhas, e setores como a saúde e educação podem estar entre as fontes desse recurso. Ao mesmo tempo, eles também trabalham para que as doações individuais sejam de 50 salários mínimos e os doadores não possam ser identificados. Isso quer dizer que Marcelo Odebrecht e Joesley Batista, por exemplo, poderão doar dinheiro para campanhas, sem serem identificados por ninguém… Que bagunça!!!

TRIUNVIRATO DA IMPOPULARIDADE

Por decisão do Ministro Edson Fachin do STF, o senador Valdir Raupp, do PMDB, teve um apartamento bloqueado pela Justiça, a fim de garantir que eventuais perdas sofridas pelo erário sejam compensadas com o bloqueio do imóvel. O senador rondoniense teve o nome citado por um dos delatores da Operação Lava Jato, que informou sobre o fato de Valdir Raupp ter recebido dinheiro de origem obscura durante o período eleitoral de 2010. A decisão do ministro foi tomada no mês de maio, mas somente agora foi divulgada, porque o caso estava sob a condição de sigilo da Justiça e somente agora Fachin decretou o fim do sigilo. Ao ser procurado pela imprensa para explicar os fatos, o senador Raupp afirmou que o ministro Edson Fachin está equivocado, pois o apartamento não pertence a ele; pertence à deputada Marinha Raupp, que é esposa do senador do PMDB. Este fato pode se tornar delicado para Raupp, já que no próximo ano ele terá que enfrentar as urnas outra vez. Além de situações como a do apartamento em Brasília, o casal Raupp tem votado sistematicamente a favor de todas as propostas do presidente Michel Temer, sendo que algumas delas são bastante impopulares. Poucos dias atrás, a deputada Marinha foi duramente vaiada em Rolim de Moura, seu principal reduto eleitoral, após votar contra a abertura de processo para investigar o presidente.

CAPIXABA, SUA IDENTIDADE E A ECONOMIA

O período eleitoral se aproxima e os políticos começam a tentar convencer os menos informados de que realmente trabalham a favor da sociedade e do país. Poucos dias atrás, na inauguração de uma sala onde seria para funcionar o setor de identificação em Cacoal, diversos políticos deram discursos emocionantes. A sala é um cubículo que praticamente não cabia nem mesmo os políticos que se acotovelavam buscando espaço. Na verdade, o evento foi chamado de “inauguração”, mas o local é uma salinha dentro do prédio onde funciona o PROCON de Cacoal. Diversos políticos estavam na “inauguração”, entre eles, o vice-governador Daniel Pereira, seu “amigo”, o deputado Cleiton Roque, Nilton Capixaba, a prefeita Glaucione Rodrigues Neri e diversos vereadores. Embora o “povo” não estivesse presente, foi uma chuva de discursos. Capixaba disse, na ocasião, que a sala vai resolver todos os problemas de identificação de Cacoal e que a salinha é um “investimento pesado” do governo na segurança pública. No mesmo evento, Nilton Capixaba declarou que votou a favor de Michel Temer e contra a abertura da investigação, para que a economia do país continue estabilizada e porque Michel Temer está arrumando o país. Teve gente que bateu palmas…

BANCADA DO TEMER

Na realidade, o deputado Nilton Capixaba não é o único representante de Rondônia que faz parte da tropa de choque do presidente Michel Temer. Marinha Raupp, Lindomar Garçom e Lúcio Mosquini nunca votaram contra Temer, embora digam nos municípios de Rondônia que representam a população em Brasília. Como pode ser observado nos últimos tempos, o eleitor em Rondônia está cobrando a transparência e o final da corrupção na política. Estes votos contrários ao interesse público realmente irão pesar nas eleições do próximo ano, porque muitos eleitores estão indignados e esperando para darem o troco nas urnas em 2018. Muitos políticos que ainda apostam na memória curta do eleitor terão muitos problemas. Este sentimento de indignação certamente não estará voltado apenas para a Câmara dos Deputados. A atitude de diversos deputados estaduais também é observada com detalhes pelos eleitores em diversos municípios do estado.

ABANDONO ACADÊMICO

As pessoas que estudam, trabalham ou visitam o Campus da UNIR em Cacoal sabem que, há vários anos, aquela instituição de ensino superior espera a conclusão do prédio do Restaurante Universitário que até hoje está em obras. Durante a semana toda, no período diurno e noturno, centenas de acadêmicos precisam se deslocar para fora do Campus, sempre que necessitam se alimentar. A cantina que funcionava no interior do Campus encerrou as atividades há anos e isto causa um prejuízo muito grande aos acadêmicos e funcionários. Poucos dias atrás, a UNIR/CACOAL comemorou o fato de ter aparecido na primeira colocação em percentual de aprovação de acadêmicos do Curso de Direito no exame da OAB, em Rondônia. Entretanto, a elogiada colocação como melhor Curso de Direito do estado não dá ao Campus da Unir de Cacoal o direito de ser tratado por nossas autoridades com o respeito que merece. Além da obra do restaurante, que está há anos sem chegar ao final, a instituição necessita com urgência de uma quadra esportiva, para que os estudantes possam praticar suas atividades esportivas no Campus. O problema é que os senadores e deputados federais fingem que não sabem onde fica universidade e ignoram as demandas. É lamentável que uma instituição com tanta qualidade seja tratada dessa maneira!!!

ESCOLA DA ENGANAÇÃO

O governador Confúcio Moura precisa acordar e perceber que seu governo tem criado muitos problemas para o estado, especialmente no setor da educação. Em Audiência Pública realizada em Cacoal na última quinta-feira, ficou muito claro que o governo caminha na contramão da qualidade de ensino que as escolas precisam. O projeto de militarização das escolas é uma prova clara dessa desorganização e da incoerência confuciana. Ao usar a palavra durante a audiência, um dos professores apresentou a lei estadual 4.097/17,  criada por Confúcio Moura. A partir desta lei, os soldados que irão entrar na polícia militar de Rondônia ficam obrigados a apresentar diploma de curso superior. Mas os cabos e sargentos da reserva que estão sendo convocados pelo governo para atuar nas escolas militarizadas não precisam ter nenhuma formação. Ou seja, para lidar com criminosos, os policiais necessitam formação superior; mas para cuidar da educação das crianças e adolescentes em formação, pode ser os cabos e sargentos da reserva, sendo que muitos deles não concluíram sequer o oitavo ano. O governo de Rondônia entende que para melhorar a qualidade da educação tem que ensinar os alunos a marchar no pátio das escolas.

INSTITUTOS DA DESCRENÇA

Em Rondônia, tem alguns institutos de pesquisa que existem somente em período eleitoral. Esses tais institutos cabem dentro de uma pasta e ninguém sabe onde fica a sede de nenhum deles. Da mesma maneira, eles fazem pesquisas no estado, mas ninguém encontra os funcionários desses institutos em lugar nenhum colhendo dados. Poucos dias atrás, um desses institutos divulgou uma pesquisa, colocando a deputada Mariana Carvalho com percentuais que certamente nem ela acredita, dada a realidade do estado. Ainda que muita gente não goste da ideia, divulgar uma pesquisa feita no estado, neste momento, para o cargo de governador, e não colocar o nome do senador Ivo Cassol entre os três primeiros, é brincar com a inteligência das pessoas. A própria carência de nomes respeitados pelo eleitor é uma realidade que não pode ser negada. A deputada Mariana Carvalho merece respeito sim, mas dizer que ela lidera hoje alguma pesquisa sobre a sucessão estadual é delírio puro. Tudo bem que alguns institutos recebem dinheiro para inventar números e nunca foram incomodados pelos órgãos fiscalizadores, mas tudo tem limite, inclusive pesquisas inventadas.

CONDENAÇÃO EM GUAJARÁ

O ex-prefeito de Guajará-Mirim, Cláudio Roberto Scolari Pilon (PMDB), 09 ex-secretários da administração dele e mais 39 pessoas que ocuparam cargos no período em que o peemedebista administrou a cidade, foram condenados pela juíza Karina Miguel Sobral, da 1ª Vara Cível, acusados de praticarem improbidade administrativa. Todas as pessoas condenadas terão ainda o direito de apresentar recurso da decisão e poderão provar sua inocência nos tribunais superiores. Conforme consta nos arquivos da Justiça Estadual, esta não é a primeira vez que Cláudio Pilon foi condenado, acusado de atos de improbidade. Diversas outras ações tramitam na justiça contra ele e ex-assessores. Após ter sido reeleito para o cargo em 2004, o ex-prefeito do PMDB foi cassado, menos de três meses após a posse para o segundo mandato, juntamente com sua vice-prefeita, acusados de crime eleitoral. Na época, a administração do ex-prefeito Pilon foi denunciada muitas vezes, por escândalos com recursos públicos.

TROCA DE SECRETÁRIOS

A prefeita Glaucione Rodrigues (PMDB) deve anunciar nos próximos dias uma mudança no primeiro escalão de sua administração. Conforme as informações que chegaram até nossa equipe, o Secretário de Planejamento Ricardo de Sá deverá deixar o cargo. A mudança estava prevista para a última sexta-feira, mas não foi efetivada. Com a provável saída de Ricardo de Sá, o servidor estadual Antônio Cunha Brito deve assumir a pasta. Brito pertence aos quadros da Polícia Civil do estado, mas até a semana passada ocupava o cargo de gerente da SEDAM em Cacoal. Antônio Brito é experiente no serviço público, conhece muito bem a legislação ambiental e já foi secretário na administração da ex-prefeita Sueli Aragão, também do PMDB. Durante vários anos, Cunha Brito está entre os principais apoiadores de campanha da prefeita  Glaucione Rodrigues e possui muita proximidade com ela. Este fato pode ajudar a prefeita a ter uma pessoa praticamente da família que possa dar opiniões nos momentos que ela precisar. Pessoas próximas ao Secretário Ricardo de Sá afirmam que não são contrárias ao nome de Cunha Brito, mas não entendem por que a prefeita decidiu exonerar um dos principais secretários que tem em sua administração.

JORNAL TRIBUNA POPULAR

Na próxima quarta-feira, dia 23 de agosto, o jornal Tribuna Popular de Cacoal completa 37 anos de existência no município. Durante este período, todos os fatos da história de Rondônia e de Cacoal foram registrados nas páginas deste brioso veículo de comunicação e a finalidade sempre foi manter a população de nosso estado bem informada. Neste período de quase 04 décadas, muitos profissionais trabalharam na Tribuna Popular e tiveram excelente contribuição no campo da notícia. Por este motivo, queremos registrar nossos sinceros cumprimentos ao Jornal Tribuna Popular e a todas as pessoas que fizeram parte desta história de dedicação, carinho e determinação. Parabéns ao jornalista Adair Antônio Perin, parabéns à jornalista Giliane Perin e parabéns a toda a família, pelo excelente trabalho prestado ao município de Cacoal, à região e ao estado de Rondônia.

PARLAMENTANDO

O salva-vidas estava em uma praia na região de Angra dos Reis, quando vê alguém gritando por socorro. Rapidamente atira-se ao mar para salvar o sujeito.

Quando consegue trazê-lo de volta para a praia, e já em plena segurança, ele surpreende-se com o rosto conhecido.

— O senhor não é o Michel Temer?

— Sou eu mesmo! Você salvou a minha vida! Pode pedir o que quiser, que eu lhe darei!

O salva-vidas olha para os lados, pensa um pouquinho e fala baixinho:

— O senhor seria capaz de me fazer um grande favor, então?

— Claro! O que você pedir?

— Não conta pra ninguém que fui eu que o salvei, tá?

Fonte: Jornal Correio de Rondônia

Publicidade

Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. O comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Você pode ser denunciado ou até mesmo banido caso comente algo racista, incite o ódio gratuito ou poste spam.

Comente com o Facebook

Publicidade

Curta Nossa Fanpage

Publicidade

Previsão do Tempo

Publicidade

Últimas Notícias