×

Acusados do Caso Naiara vão a Júri novamente após recurso do Ministério Público

Plenário da 1ª Vara do Tribunal.

Acusados do Caso Naiara vão a Júri novamente após recurso do Ministério Público - correio de rondônia

A estudante Naiara sofreu estupro coletivo e foi morta a golpes de faca no início de 2013.

Dois réus acusados de envolvimento no estupro e homicídio da estudante Naiara Karine irão novamente a Júri Popular, nesta quarta-feira (15/5),Na ocasião, a estudante Naiara sofreu estupro coletivo e foi morta a golpes de faca no início de 2013, na zona rural de Porto Velho. Ambos serão julgados pelo crime de estupro, iniciando o júri às 8h30 no Plenário da 1ª Vara do Tribunal do Júri.

No primeiro julgamento, os réus Richardson Bruno Mamede das Chagas e Francisco da Silva Plácido foram condenados apenas pelo homicídio, mas absolvidos do crime de estupro. Inconformado, o Ministério Público do Estado de Rondônia, por intermédio do Promotor de Justiça Elias Chaquian Filho, recorreu para anular parcialmente o Júri, tendo em vista que a decisão com relação ao estupro foi contrária às provas dos autos, pleiteando que os acusados fossem novamente submetidos ao julgamento popular, somente por esse crime conexo. Concomitantemente, os réus apelaram visando anular o júri e reduzir a pena.

Publicidade

O Tribunal de Justiça de Rondônia rechaçou os recursos de apelação dos condenados e acatou o recurso do Ministério Público, anulando parcialmente a decisão do Conselho de Sentença que os absolveu do crime sexual, determinando novo julgamento, sob argumento de a tese acolhida pelos jurados para absolver os apelados/apelantes Francisco da Silva Plácido e Richardson Bruno Mamede das Chagas do crime de estupro é manifestamente contrária à prova dos autos.

A defesa do acusado Richardson impetrou recursos, os quais foram rejeitados pelo Tribunal de Justiça e mantida a decisão de rejeição pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) e pelo Supremo Tribunal Federal (STF). O réu foi condenado a 14 anos de reclusão por homicídio qualificado em regime fechado, tendo sua pena mantida.

E quanto ao réu Francisco Plácido, este teve seu recurso acatado somente em parte, diminuindo sua pena, mas mantendo a condenação na sua participação no homicídio.

Fonte: MPRO

Ver comentários

Continue Lendo...

Aprovadas as primeiras resoluções das Eleições 2020

Os ministros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aprovaram nesta quinta-feira (12) as primeiras resoluções que vão disciplinar as próximas eleições municipais, marcadas para o dia 4 de outubro de 2020. Foram analisadas as minutas que…

Leia Mais
Durante entrevista, advogado Luiz Paulo fala do respeito às prerrogativas das advogadas

No próximo domingo, 15/12, comemora-se o dia da mulher advogada. A data foi instituída em homenagem a primeira advogada do Brasil, doutora Myrthes Campos, precursora na luta pelo voto feminino, o exercício da advocacia pela…

Leia Mais
TJRO mantém condenação e ajusta dosimetria da pena do homem acusado de matar professora em Candeias

Nessa quinta-feira, 12, em recurso de apelação, na última sessão de julgamento deste ano, realizada pela 1ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça, os desembargadores mantiveram as condenações dos crimes de homicídio e de tentativa…

Leia Mais
Maioria do STF vota por criminalizar não pagamento do ICMS declarado

Imposto é a principal fonte de receita dos estados.

Leia Mais
Candidatura avulsa pode ser votada no STF no 1º semestre, diz Barroso

Audiência pública debate o tema durante o dia de hoje no Supremo.

Leia Mais
Ministério Público discute garantia do direito à educação de alunos com deficiência com instituições de ensio

Com o objetivo de discutir com as instituições privadas de ensino de Porto Velho a garantia do direito à educação aos alunos com deficiência, a fim de impulsionar essas instituições a implementarem a Educação Inclusiva…

Leia Mais