×

Publicidade

Ministério da Justiça realiza operação contra pirataria digital em SP

A Polícia Civil realiza na manhã desta sexta-feira (1) uma operação para combater a pirataria digital em São Paulo e em outros 11 estados. Coordenada pelo Ministério da Justiça e da Segurança Pública, a força-tarefa, batizada de 404, mira o bloqueio de 210 sites e 100 aplicativos ilegais de streaming.

Os policiais já estão nas ruas para cumprir 30 mandados de busca e apreensão em São Paulo, Amazonas, Bahia, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso, Minas Gerais, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Paraíba, Pernambuco e Santa Catarina.

No Brasil, a pena para quem pratica esse tipo de crime é de dois a quatro anos de cadeia, e pagamento de multa.

Publicidade

O Ministério da Justiça escolheu esse nome para batizar a operação para fazer referência à mensagem que aparece no computador quando um site está fora do ar.

Essa ação recebe o apoio da Agência Nacional do Cinema (Ancine), do Conselho Nacional de Combate a Delitos contra a Propriedade Intelectual (CNCP), de associações de proteção à propriedade intelectual do país e da Embaixada dos Estados Unidos no Brasil.

Ver comentários

Continue Lendo...

Casos suspeitos de coronavírus sobem para 12 no Brasil

Nenhum caso foi confirmado; dez já foram descartados.

Leia Mais
Novas placas de veículos serão obrigatórias a partir de 31 de janeiro

Padrão Mercosul será necessário para novos emplacamentos.

Leia Mais
Anvisa interdita todas cervejas produzidas pela Backer

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) interditou todas as cervejas produzidas pela Backer cuja data de validade seja igual ou posterior a agosto de 2020. A medida foi anunciada hoje (17) pela autarquia. A…

Leia Mais
Ministério multa Facebook por abuso no compartilhamento de dados

Facebook terá que pagar multa de R$ 6,6 milhões.

Leia Mais
Mega-Sena da Virada vai pagar R$ 300 milhões

Apostas podem ser feitas até as 18 horas de terça-feira.

Leia Mais
Mãe que matou o filho por homofobia é condenada a 25 anos

Tatiana Ferreira Lozano Pereira não aceitava o fato de Itaberli Lozano ser gay; outros dois envolvidos no crime foram sentenciados.

Leia Mais