×

Publicidade

Presidente Laerte Gomes recebe lideranças evangélicas e membros do Conselho de Ministros

Ele explicou as ações da Assembleia e disse que irá buscar apoio do Governo para demandas.

Presidente Laerte Gomes recebe lideranças evangélicas e membros do Conselho de Ministros

Foto: Diego Queiroz-ALE/RO

Na última quinta-feira (31), o presidente da Assembleia Legislativa, Laerte Gomes (PSDB), ao lado dos deputados estaduais Pastor Alex Silva (PRB) e Marcelo Cruz (PTB), se reuniu com lideranças da comunidade evangélica de Porto Velho para ouvir as necessidades indicadas pelas igrejas do Município.

A pauta discutida na reunião foi apresentada pelo presidente do Conselho de Ministros e Pastores Evangélicos de Porto Velho (Comep), pastor Val Alves. Segundo ele, individualmente, cada igreja faz seu trabalho, tem seus projetos sociais e possui cada uma, a sua relevância na comunidade, porém, o pastor ressalta que, diante do atual cenário, o trabalho conjunto entre todas as igrejas é de fundamental importância para o desenvolvimento de ações efetivas.

“E após audiências anteriores, o Comep decidiu esse ano, apresentar uma pauta mais institucional e que pudéssemos trabalhar em conjunto. Entre os assuntos prioritários, queremos abordar o enfretamento contra a violência doméstica, a isenção tributária para as igrejas e falarmos sobre uma maior valorização às comunidades terapêuticas lideradas por instituições religiosas ligadas às igrejas”, destacou Val Alves.

Publicidade

De acordo com o pastor, as igrejas não são tributadas de imposto, porém, nas contas de energia elétrica, água e telefone é cobrado o ICMS. Val Alves informou que as igrejas estão fazendo um estudo jurídico para a possibilidade de as entidades pleitearem a isenção dos tributos.

“Queríamos pedir ao presidente Laerte Gomes, que nos ajudasse a encontrar o melhor caminho para conseguirmos esse benefício para as igrejas que, aliás, é um direito garantido por legislação federal. Nossa dúvida é saber se esse caminho seria político administrativo ou jurídico, e se faríamos isso coletivamente ou individualmente, enfim, de que forma procederíamos”, levantou o presidente do Comep.

Outro ponto destacado pelas lideranças religiosas foi à falta de capelania nas instituições militares e carcerárias do Estado. A capelania é uma atividade reconhecida por lei e garante aos ministros capelães o serviço voluntário de atendimento. Nas instituições militares existem as capelanias evangélicas e católicas, as quais desenvolvem suas atividades buscando assistir aos integrantes das Forças nas diversas situações da vida.

“A atividade de capelania é importante no meio militar, pois contribui na formação moral, ética e social dos integrantes das unidades militares, porém, aqui em Rondônia, a manifestação de interesse por parte do Executivo Estadual, até agora, não foi satisfatória”, enfatizou o pastor da Igreja Quadrangular, Carlos Amorim.

Representando a Igreja das Nações, o pastor Fábio Ramos, abordou a importância de oferecer assistência a pessoas com dependência química e afirmou que “a maior parceira do Estado nesse processo é a igreja”.

“Existe a tentativa e iniciativa de algumas secretarias tentarem nos ajudar, mas temos que estar com tudo pronto para ser liberado o recurso, e para isso, precisamos de uma parceria que nos permita construir, desenhar uma maneira do Estado no enxergar como parceiros e viabilizar recurso para as ações das nossas igrejas em prol desse público”, citou Fábio Ramos.

Outra preocupação apontada pelas lideranças foi sobre a situação dos imigrantes venezuelanos que chegam a Porto Velho diariamente. De acordo com o pastor fundador da Comunidade Internacional da Paz (CIP), Severino Ramos, “da forma em que os percebemos muito abandonados pela cidade, a gente acaba concluindo que não exista, até então, um programa do Governo do Estado para o acolhimento desses imigrantes”, frisou.

“Eu não sei até que ponto podemos trazer essa discussão, até que ponto a Assembleia Legislativa pode criar algum programa em relação a essa gente, em situação muito vulnerável e que tanto precisa de ajuda”, argumentou o pastor.

Problemas financeiros, a violência contra a mulher dentro das comunidades evangélicas e nas escolas, a depressão, a ansiedade e o suicídio entre o público jovem e na esfera militar foram outros apontamentos comentados durante a reunião.

Após ouvir explanações sobre todas as questões, o presidente Laerte Gomes concluiu afirmando que a Assembleia, em muitos aspectos citados, está fazendo a sua parte e buscará, junto ao Governo do Estado, medidas para apoiar as ações da comunidade evangélica de Porto Velho e demais municípios de Rondônia.

“Nossa gestão tem sido pautada pela economia e com o valor que já economizamos poderemos devolver para o Estado e direcionar o recurso para ajudar instituições como o Hospital do Amor, o Hospital Santa Marcelina, o São Daniel Comboni e também as comunidades terapêuticas ligadas às igrejas evangélicas que trabalham na recuperação de dependentes químicos. Temos também a Escola do Legislativo que oferece cursos de capacitação, algo que podemos estender às comunidades. Sugiro ainda marcarmos uma reunião com o governador Marcos Rocha e o envolvermos para discutirmos e encaminharmos soluções para as necessidades apresentadas aqui”, concluiu o presidente.

Ver comentários

Continue Lendo...

Volta ao Senado projeto que proíbe corte de serviços essenciais em fim de semana

O Projeto de Lei 669/2019, que proíbe o desligamento de serviços públicos como água e energia elétrica nas sextas-feiras, fins de semana e feriados, retornará ao Senado para análise devido às mudanças feitas na Câmara….

Leia Mais
Câmara pode votar hoje urgência para projeto que adia o Enem

Mudança decorre da crise causada pelo novo coronavírus.

Leia Mais
Laerte Gomes pede urgência na certificação de funcionamento de Aeroporto de Ji-Paraná

Parlamentar elencou medidas que deverão ser tomadas de acordo com normas técnicas da ANAC e Decea.

Leia Mais
Presidente da ALE-RO articula locação de hospital para atender pacientes do coronavírus

O objetivo é minimizar os impactos causados pela pandemia de Coronavírus em Rondônia.

Leia Mais
Governo sanciona lei que cria programa de apoio às microempresas

Medida abre crédito especial no valor de R$ 15,9 bilhões.

Leia Mais
Roubo e furto de testes para covid 19 pode ser considerados crimes hediondos

Proposta da deputada Jaqueline Cassol endurece penas para quem cometer o crime durante a pandemia.

Leia Mais