×

Publicidade

Anvisa libera venda de produtos derivados da Cannabis no Brasil

A Anvisa, Agência Nacional de Vigilância Sanitária, negou o plantio de maconha para uso medicinal, mas autorizou a fabricação de produtos derivados da Cannabis.

A decisão desta terça-feira estabelece uma série de requisitos para a regularização de produtos derivados de Cannabis no Brasil.

A regulamentação aprovada será publicada no Diário Oficial da União nos próximos dias, e entrará em vigor 90 dias após a publicação.

Publicidade

A comercialização dos produtos derivados de Cannabis no país será feita exclusivamente em farmácias e drogarias, sem manipulação e mediante prescrição médica.

Os medicamentos serão tarja preta, e terão nas embalagens avisos como “O uso desse produto pode causar dependência física ou psíquica”.

De acordo com a psiquiatra Ana Hourie, o processo ainda deve demorar alguns meses.

“No curto prazo não vai mudar nada, mas para o ano que vem provavelmente a gente vai poder prescrever uma série de produtos usando as receitas azul e amarela, como se faz com medicação controlada. Isso é um avanço, porque não vai mais precisar fazer a importação, então não vai demorar mais tanto tempo para conseguir o produto, pois ele estará disponível na farmácia, mas ainda assim os preços devem ser muito altos”.

Para a psiquiatra, a liberação do cultivo no Brasil, para fins medicinais – que não foi aprovado pela Anvisa – poderia ampliar o acesso do medicamento à população de baixa renda.

Há três meses, a baiana Elda Oliveira observou os efeitos do óleo de canabidiol com THC – princípio ativo mais potente da planta da maconha – em seu filho autista.

“Ele falava algumas palavras, agora está falando um pouquinho mais de frases. O comportamento dele, também, a gente notou uma certa melhora, obediência a comandos. Houve melhora também na escola. Na época em que a gente começou a usar, a gente tinha um problema sério com ele que era a agressividade. Ele batia nos coleguinhas, nos professores, na gente mesmo. E isso melhorou muito, hoje ele não bate mais”.

Elda espera que outras mães tenham acesso aos produtos. Ela adquire o óleo fabricado pela Abrace – Associação Brasileira de Apoio Cannabis Esperança – que conseguiu na Justiça brasileira a autorização definitiva para cultivar a Cannabis para fins medicinais.

A decisão da diretoria da Anvisa deverá ser revisada em até três anos.

Ver comentários

Continue Lendo...

Câmara aprova ultrassom obrigatório para mulheres com risco de câncer

Exame é mais preciso que mamografia para detectar câncer de mama.

Leia Mais
'Dia D' contra o sarampo será neste sábado e terá 11 postos de vacinação em Ji-Paraná, RO

Unidades Básicas de Saúde (UBS) devem atender das 07h30 às 13h. População na faixa etária de cinco a 19 anos são o público-alvo da campanha.

Leia Mais
Campanha de vacinação é intensificada em crianças e jovens

Rondônia recebeu no final do ano passado cerca de 100 mil doses de vacinas tríplice viral para combater o sarampo, caxumba e rubéola. A campanha nacional de vacinação iniciou na última segunda-feira (10) e segue até…

Leia Mais
Consultores iniciam projeto do novo pronto-socorro de Rondônia

A construção do novo Hospital de Emergência e Urgência de Rondônia (Heuro), em Porto Velho, avançou mais um passo. Os consultores da Fundação Escola de Sociologia Política (Fesp), empresa contratada para conduzir o projeto de modelagem…

Leia Mais
Projeto Enxergar realiza cerca de 120 cirurgias de catarata por dia em mutirão na região do Café e Vale do Guaporé

O projeto que começou em Porto Velho em julho de 2019, e já realizou mais de duas mil cirurgias na região Madeira-Mamoré, agora foi ampliado para o interior com o objetivo de zerar, até o…

Leia Mais
Caso de coronavírus é descartado e comitê de enfrentamento à doença mantém vigilância

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) e a Agência de Vigilância em Saúde (Agevisa) informam que as amostras coletadas de um casal que mora em Porto Velho tiveram o resultado negativo para o coronavírus e…

Leia Mais